segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Dicas para andar de salto alto

Andar de saltos nem sempre é fácil e, por vezes, é mesmo preciso alguma habilidade. Ficam aqui algumas dicas para que não se torture mais e se consiga manter em cima de alguns centímetros durante todo o dia. (coisa que não consigo, mas que gostava muito) 


Pode ser uma "espécie de relação amor/ódio para muitas mulheres: adoramos saltos altos, mas eles nem sempre nos facilitam a vida. Quantas vezes não reclamamos de dores nos pés por estar de salto alto? Ou não se viu ansiosa para descalçar esse mesmo par durante uma festa? Ou até mesmo no trabalho? Mas há truques que podem fazer toda a diferença no seu dia-a-dia, devolvendo-lhe o visual glamoroso que afinal pretendia ao calçar um salto com uns centímetros."


Estar em pé e parada algum tempo? Coloque um pé à frente do outro: esta posição permite distribuir melhor o peso do corpo e garante que os joelhos ficam esticados. Assim, aquela dor incomodativa vai demorar mais a chegar e vai apresentar uma boa postura e uma figura esbelta.

Escolha o tamanho do salto de acordo com o ritmo da ocasião: aposte em saltos altos e finos somente se tiver tempo para estar quieta, ou seja, se não for andar muito ou se não estiver muito tempo de pé. Quanto mais parada estiver, maior pode ser o salto.

Não torture os seus pés, faça uso de palmilhas de silicone: o pé não escorrega para a frente, não transpira tanto e ainda fica mais confortável. Este tipo de palmilhas permite que, mesmo depois de algumas horas em cima do salto, os pés continuem aliviados.
Aproveite o final da tarde para comprar o tão desejado par de sapatos: a melhor hora para comprar uns sapatos (de salto ou não) é ao fim do dia, pois os pés tendem a inchar. Aproveite também para dar uns pulinhos com eles calçados, assim garante que não estão largos e que não vai passar o tempo todo a perdê-los.
Postura… o segredo para fazer dos saltos altos os seus maiores aliados:joelhos esticados e andar recto, mantendo sempre os pés paralelos durante o andamento são regras essenciais. Deixe de lado o famoso cruzar de pernas, típico das passerelles, e garanta a postura e o equilíbrio, fazendo com que o peso do seu corpo recaia sobre os saltos.
Procure sapatos com mais apoio no centro do pé: muitos dos saltos altos pecam por não ter um centro bem estruturado, o que leva a que o pé não fique bem apoiado. Quando experimentar os sapatos, certifique-se de que o seu pé fica bem sustentado. Assim garante que o peso do seu corpo não recaia todo na parte da frente.
Mime os seus pés: não deixe que calos ou joanetes tomem conta deles, pois podem ser uma verdadeira dor de cabeça. Faça massagens com um pouco de creme - ou melhor ainda: peça ao seu companheiro que o faça -  sobretudo quando usar saltos acima dos 7 centímetros. No verão aposte em sandálias abertas, pois deixam respirar o pé e evitam mais as infeções por fungos.
Mude de salto como quem muda de camisa: sim, deve variar. Não ande a semana toda com os mesmos sapatos. Se é fã de saltos altos e não vive sem eles, então vá alternando os vários estilos existentes. Assim terá dias em que os seus pés conseguem descansar um pouco.
Tenha atenção onde vai pisar: não queira correr o risco de ficar com o salto enterrado na areia ou na relva durante um casamento… ou até ficar com ele preso no meio da calçada. Antes de escolher o salto para onde vai subir, deve ter em atenção a superfície onde vai estar.
Sapatos novos? Dê-lhes um tratamento de choque: para não correr o risco de ficar com os pés feridos coloque um pouco de vaselina ou creme gordo no pé e também nos locais mais duros do sapato (por ex. calcanhar). Assim vai evitar as famosas e dolorosas bolhas.
Testar e praticar em casa é fundamental: após a compra, calce os sapatos em casa e caminhe com eles. Deve praticar o mais possível, tanto para os sapatos se adaptarem à forma do seu pé, como para que você mesma ganhe confiança quando for para a rua com eles. Aproveite ainda para subir e descer escadas e andar sobre os mais diversos pisos, como em cima de tapetes, de relva ou de um chão mais escorregadio.
Ande em bicos de pés… mas bem apoiada no salto: o salto deve ser a primeira coisa a aterrar no chão. Não pise a superfície (seja ela qual for) nem com o pé todo de uma vez, nem somente com a parte da frente do pé (os dedos), assim estará a forçar apenas os dedos, não permitindo uma boa distribuição do peso. Afinal o salto é o pilar principal, existindo precisamente para assegurar que o pé está bem apoiado.
Se é fã do uso diário de saltos altos coloque em prática algumas destas dicas, mas não se esqueça que, quando utilizados diariamente, podem causar deformidades como unhas encravadas, calosidades, joanetes, inflamações nos tendões e até fracturas."

Fonte: Activa

Wook