quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Benefícios de não ter namorado

Ora, anda aqui uma pessoa à espera das 19h para aterrar no sófa e enquanto as 19h não chegam e não há muito trabalho....vamos lendo!
E muitas vezes dou-me aqui a rir sozinha...( há pessoas que devem pensar que sou maluca) mas isso não importa nada agora...
E onde ia mesmo...no texto que encontrei...Saudades de ser solteira..lembram-se do que é ser solteira...falo das meninas que vivem com os seus hommes...lolol!

Ter a cama de casal só para nós...não ter que ver futebol quando não me apetece...ter tudo à nossa maneira...sem encontrar ténis n.º 43/44 no meio da casa...boxers no estendal...ah e tal tenho que perguntar a ele...e ele para aqui e para ali! E ir onde quiser sem ter que dar explicações...as noite que dormíamos fora de casa...ir jantar fora com A e o B e às vezes com o C....as noites com as amigas e conhecer os gajos e depois ir às roulotes ou então ir tomar o pequeno almoço...LOLOL!
 
ATENÇÂO QUE NÂO SOU A AUTORA DESTE TEXTO....
 
ESTE TEXTO É GENERALISTA...NÃO DEDICADO A NENHUMA RELAÇÃO....
 
Quem disse que as solteiras não são felizes?

Então cada vez há menos casamentos ou então casamos cada vez mais tarde, optando a viver em casa dos pais o máximo tempo possível (para poupar ou para não ter que mexer um dedo na casa) ou então alugar um apartamento apenas para um e por outro lado existem relacionamentos que já são considerados como um década! Também encontramos relações por conveniência, o medo de deixar de ser um casal, o viver numa rotina e não saber viver com isso. Medo de estar solteira? Medo de estar sozinha??  O estar solteira pode ser das melhores experiências. Mas onde este texto quer chegar...se não és feliz numa relação não tenhas medo de estar sozinha...aproveita o tempo que és solteira e não tens compromissos com ninguém!

"Solteira e feliz: os 5 benefícios de não ter namorado"

Menos stress. Quem disser que estar envolvida numa relação amorosa não é stressante, nunca viveu uma relação amorosa. Não estamos a falar daquela fase inicial, quando é tudo borboletas no estômago, batimentos cardíacos anormais e música romântica, qual banda sonora perfeita. Estamos a falar da fase em que ele lhe telefona 50 vezes ao dia, telefonemas esses intercalados com outros tantos sms: o que fazes? Onde estás? Com quem? O que tens vestido? Porquê? Porque não? A que horas chegas? Quando estão juntos o sufoco continua ou então instala-se a rotina: acabaram-se os jantares fora, as noites divertidas com os amigos, a conversa que durava a noite toda, aquela intimidade que não se consegue fingir. E então o romantismo? Antes a solo do que a dois sem música romântica. Solteira de novo? Aleluia! Acabou-se o stress. Agora tem apenas ouvidos e voz para si. Experimente. Não vai querer outra coisa.

Mais tempo para si. Vamos ser realistas. Quando se namora, o tempo é pouco para estarem juntos, mesmo que seja para estarem sentados no sofá em frente à televisão a ver mais um filme alugado. Corre-se do trabalho para casa, porque têm de jantar juntos. Não se pode marcar um almoço de amigas porque ele se calhar vai aparecer para almoçar consigo. Esquece a inscrição de duas vezes por semana no ginásio (embora seja isso mesmo que está a precisar!)… porque não tem “tempo”. Uma mulher solteira tem todo o tempo do mundo: para se dedicar à carreira, à família, aos amigos, à leitura, ao ioga, à jardinagem, à carta de mota, ao rafting, aos blogs de mulheres, ao curso de espanhol, às novelas, à dieta, ao sono de beleza …

Dona do seu nariz. Dona de tudo. Do comando, da casa de banho, da cama, do frigorífico, da despensa, da carteira. Acabaram-se o “tenho de falar com o Miguel” ou “não sei, tenho de ver” ou “se calhar ele não vai querer, depois digo-te”. Se lhe apetecer gastar um ordenado nuns sapatos Laboutin, viajar duas vezes por ano, comer cereais com leite todas as noites, deitar-se com as galinhas, ver as seis temporadas do Sexo e a Cidade num só fim-de-semana, sair até de madrugada todas as sextas e sábados ou encher a casa de banho de velas e tomar um banho de imersão, com Diana Krall a tocar bem alto, não há ninguém a torcer o nariz, a rir-se ironicamente, a abanar a cabeça ou a fazer beicinho. Toca a aproveitar!

Coisas de homem? Não obrigada. Já pensou? Dias infinitos sem meias no chão, sapatos mal cheirosos no corredor (ou onde calha), tampa da sanita levantada, rolos de papel higiénico vazios, pacotes de leite com duas gotas ainda no frigorífico, jogos da Super liga, da Taça UEFA, da Liga dos Campeões, do Euro, do Mundial, da Liga Inglesa, Italiana, Espanhola, Francesa, Escocesa, da Selecção Nacional, dos programas de comentários pós-jogos de futebol, do Star Wars, do wrestling, das revistas de carros e jornais desportivos a forrar o chão da sala, de noites e noites passadas em frente ao PC a jogar Football Manager ou Crysis ou qualquer outro jogo imaturo de tirinhos e saltos mortais. Silêncio. Isso sim é o paraíso.

Família reduzida. Já não bastam os seus pais, irmãos, avós, tios e primos que também tem de “aturar” a maluca da tia dele que só quer saber quando é que vão casar que-isto-de-dormirem-juntos-sem-aliança- no-dedo-não-é-correcto; ou aguentar os olhos tipo Inspector Gadget da mãe dele que a examina das pontas dos cabelos às pontas dos pés cada vez que lhe põe a vista em cima? Para não falar no grupinho de amigos dele que nunca a recebeu muito bem e vice-versa. Pense no dinheiro que vai poupar (Londres aí vou eu!) e nas festas de aniversário, Natal, Ano Novo e Páscoa da qual se livrou. Resumindo: menos stress, mais tempo para si e coisas de homem nem vê-las… a não ser que tenha encontrado the one, o seu true love. Pois, agora tem tempo para ver todas as “montras” que lhe apetecer. Até lá, viva as solteiras!"

Adorei este texto...ri com certas coisas...e quem é solteira que aproveite! Enquanto não encontra o "The special one"
Mas não deixar de acreditar no amor....

E como diz alguém...enquanto não encontra o amor verdadeiro..se divirta com os outros! hehe :)

P.S. Não me ataquem de novo sem ler o texto inteiro.... :)
Obrigado!

Wook